Credioeste disponibiliza novo programa para empreendedores no Rio Grande do Sul

O RS Trabalho, Emprego e Renda (RS TER) é o novo programa criado pela Secretaria do Trabalho e Assistência Social (STAS) e pela Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS), com objetivo de incentivar o empreendedorismo, contribuir para a expansão de micro e pequenas empresas, gerar empregos, melhorar a qualidade de vida dos rio-grandenses e impulsionar a economia local. Alinhada com esses propósitos, a Credioeste contribuirá por meio do acesso ao microcrédito produtivo e orientado.

O RS TER dispõe de três eixos para promover sustentabilidade econômico-financeira dos negócios: gestão, mercado e crédito. O primeiro disponibiliza alternativas de capacitação, qualificação, assessoramento, incubação e formação de mão de obra, com o intuito de aprimorar o conhecimento de empresários, orientando sobre ações estratégicas, gerenciais e operacionais. O segundo firma parceria com prefeituras e com o setor produtivo locorregional para estimular a comercialização dos produtos e serviços ofertados pelos micro e pequenos empresários.

Para facilitar o acesso aos recursos financeiros, o terceiro eixo oferece linhas de crédito tradicional e microcrédito produtivo e orientado. “Nosso propósito é atender empreendedores informais, Microempreendedores Individuais e produtores rurais da agricultura familiar. O primeiro passo é fazer o levantamento socioeconômico e orientar a aplicação dos recursos. Após, serão definidos o valor e as condições do crédito. O tomador poderá acessar até R$ 15 mil e parcelar de 6 a 24 vezes”, destaca o presidente da Credioeste Ivonei Barbiero.

Com os três eixos alinhados, empreendedores poderão identificar as principais deficiências do empreendimento. Conforme levantamento do Sebrae/RS, a falta de capital de giro, as dificuldades financeiras, a inadimplência e o pouco acesso ao crédito bancário são fatores que facilitam o fechamento de empresas. Outros pontos são a escassez de clientes, as instalações inadequadas, as dificuldades gerenciais, além da análise de mercado e da elaboração do plano de negócios, que nem sempre é planejado, mas, em contrapartida, é indispensável para o diagnóstico completo da empresa.

Para orientar os empreendedores, serão levados em consideração o preço do negócio em comparação aos concorrentes, as potencialidades da empresa, o relacionamento com clientes e fornecedores, a reposição e o estoque de produtos, a implementação de um sistema para o controle de inadimplência e quais foram as principais dificuldades que as pessoas atendidas pelo RS TER tiveram no acesso ao crédito antecedente ao programa.

“O RS TER é sustentado por três pilares: qualidade de gestão, acesso ao crédito e ao mercado de trabalho. O intuito é promover, junto de nossos parceiros, sustentabilidade nos negócios. Dessa forma, também fomentamos a economia dos municípios e do Estado por meio da geração de emprego e do apoio para o desenvolvimento de micro e pequenas empresas”, ressalta o secretário do Trabalho e Assistência Social, Ronaldo Nogueira.  

Related posts

Leave a Comment