Clientes de microcrédito

Clientes de microcrédito crescem mesmo na crise; valor emprestado teve redução

O número de clientes que usaram microcrédito, concedido pelas entidades associadas à Abcred, cresceu 2,02% em 2016, mesmo com o cenário de crise. Os números são de uma amostragem com 15 entidades filiadas que já concluíram seus cadastros. O resultado também aponta uma redução de 0,003% no total de recursos emprestados, número que piora se for incluída a inflação de 6,28% do ano passado.

O Inec, Instituto Nordeste Cidadania (Crediamigo), maior operador de microcrédito do país, aumentou o número de clientes, mas reduziu o valor médio dos empréstimos. Para Helda Kelly dos Santos Pereira, a crise reduziu a capacidade de pagamento dos clientes.

“A gente consegue fazer a captação, porém, como o cliente já está endividado, reduzimos o nosso ticket médio para não aumentar a inadimplência e o cliente continuar pagando”.

Segundo Helda, uma das causas para o aumento de procura por microcrédito foi o crescimento do desemprego e, consequentemente, do número de pessoas que começaram a empreender. Para 2017, o objetivo do Inec é manter os números de 2016.

Helda: “Redução do ticket médio para controlar inadimplência” — Foto: Arquivo/Abcred

 

 

 

 

 

 “Conseguimos o melhor resultado da história em janeiro de 2017”, afirma representante da Extracredi

A Extracredi, Extremo Oeste Agência de Crédito, de São Miguel do Oeste, SC, conseguiu aumentar o número de clientes e também o valor total de empréstimos. Segundo Jose Pivetta, a entidade se preparou para o cenário de crise com linhas diferentes de trabalho para reagir ao mercado.

 

Pivetta: “Tem que ter mais gente para captar” — Foto: Arquivo/Abcred

“Como é mais difícil captar clientes, tem que ter mais gente para captar”. A Extracredi ampliou o número de funcionários, investiu numa frota própria, criou um setor de ajuda ao cliente e adotou as máquinas de cartão, além do cartão próprio. Em janeiro de 2017, a entidade conseguiu o melhor resultado da história.

ICC BLUSOl — Instituição Comunitária de Crédito Blumenau Solidariedade, de Blumenau, SC, investiu na ampliação do número de agentes e abriu novas filiais. “Investimos para um processo de crescimento, mas não conseguimos crescer em função da crise”, afirma Edilson Wilvert. Para melhorar o resultado e reduzir a inadimplência, que também subiu, a Blusol reduziu custos e reforçou a análise de crédito. “Várias ações para emprestar mais e emprestar melhor. A partir de dezembro, já percebemos uma melhora, “ainda que sutil”, segundo Wilvert.

Wilvert: “Reforço na análise de crédito” — Foto: Arquivo Pessoal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Related posts

Leave a Comment