Facebook

Notícias

26/10/2015 - Foromic 2015 debateu novas tecnologias, microsseguros e sobreendividamento

Foromic 2015 debateu novas tecnologias, microsseguros e sobreendividamento

A delegação da Abcred presente ao Foromic, realizado entre os dias 26 a 28 outubro em Santiago, no Chile, teve agenda cheia durante os três dias, com participação nos painéis de debates e nas plenárias, e se reunindo com dirigentes de instituições interessadas nas microfinanças brasileiras.

Um dos destaques do fórum foi a apresentação das novas tecnologias para o setor, seja nas formas de pagamento com cartão de crédito e celulares, ou nos novos programas de sistemas de contabilização.

O Foromic também contou com um ponto de negócios de produtos financeiros e tecnológicos, e uma feira de artesanato de produtos da região. A cerimônia de abertura do fórum, que é promovido anualmente pelo BID – Banco de Desenvolvimento Econômico, contou com a presença da presidente do Chile, Michelle Bachelet.

Participaram do Foromic Amadeu Trentini, Almir Pereira e José Pivetta, diretores da Abcred, e vários associados da entidade.

“Foi importante a participação da Abcred no fórum para colher experiências para desenvolver as microfinanças e a inclusão financeira no Brasil”, disse Amadeu Trentini, vice-presidente da entidade.

O tema central das plenárias foi o da inclusão financeira. “Na América Latina existem 130 milhões de pequenos empreendedores que precisam ser incluídos financeiramente. Só no Brasil são mais de 20 milhões”, afirmou.

Novas tecnologias
“O futuro passa pelo uso de novas tecnologias para se medir rentabilidade, o impacto, a qualidade e a diversidade dos pequenos empreendedores, que precisam de plataformas boas de serviço, através de celulares e cartões de crédito. As novas tecnologias permitem formatar melhores produtos para os clientes”, comentou Amadeu.

No Brasil estão sendo testados modelos de pagamento por cartão. “São projetos piloto que estão sendo desenvolvidos”, afirmou.

“O que mais me chamou a atenção é que os especialistas, depois de destacarem os benefícios das novas tecnologias, alertaram que nas microfinanças o agente de crédito continua fundamental. Se nós nos afastarmos do agente de crédito, nós falhamos”, comentou.

Produtividade
Para Almir, as tecnologias aplicadas à gestão de carteira e ao atendimento dos empreendedores no local onde a atividade econômica acontece dá agilidade ao processo e à aprovação do microcrédito. “A consequência disso é a redução dos custos com uma economia de escala na formação das carteiras”, afirmou.

Seguros de vida e sobreendividamento
Os painéis também discutiram os seguros de vida, já que eles atendem uma demanda das famílias dos clientes e das entidades de microcrédito. “Quando as carteiras são maiores a incidência de mortes é mais freqüente. Então, as entidades devem criar mecanismos de proteção para os seus ativos e clientes”, comentou.

Outros debates se voltaram à prevenção e identificação dos riscos de sobreendividamento. Estudo realizado no Peru, Chile e Guatemala mostrou o comportamento das instituições diante de uma concorrência predatória, situação em que todos saem perdendo. “A criação de bureau de crédito e sistemas de informação cooperam para o fortalecimento dos sistemas de microcrédito”, disse Almir.

Reuniões com parceiros
Os diretores da Abcred se reuniram com representantes de várias instituições, entre elas o fundo BIO – Belgica Investiment Company,,o Deutsche Bank, interessados em operar no Brasil. Com o BID-Fomin a diretoria discutiu a oportunidade de um projeto de desenvolvimento institucional n Brasil. Também houve uma reunião com diretores da Oiko Credit, que atua com operações com carência de médio prazo e já é parceira da Abcred.

“Depois de três dias intensos, voltamos ao Brasil com a sensação do dever cumprido”, finalizou Amadeu.

Copyright © 2012 - Direitos Resevados - abcred.org.br