Número de clientes de microcrédito cresceu 2,96% no primeiro semestre

Negócios informais representam 70,8% dos clientes atendidos

 

Os dados cadastrais disponibilizados por 27 entidades associadas à ABCRED  mostram um desempenho positivo do setor, no primeiro semestre de 2018, mesmo no cenário de crise econômica. O número de clientes cresceu 2,96% e o índice médio de inadimplência caiu de 3,31% para 3,14%, na comparação com dezembro de 2017.

As pessoas jurídicas que atuam de forma informal, que eram 65,9% dos clientes no final de 2017, agora representam 70,8% dos atendidos. Cresceu, também, o número de mulheres beneficiadas. Elas representavam 54,4% dos clientes; agora são 54,6%.

Para o vice-presidente da ABCRED, José Paes de Oliveira Neto, o bom desempenho do setor tem como causa a situação de desemprego no país. “O país não tem emprego e vemos uma avalanche de demissões e filas de pessoas inativas no mercado de trabalho. Então elas só tem uma solução, é empreender, é partir para o negócio próprio e gerar sua renda através do seu esforço. E nesse cenário, o microcrédito cumpre sua função social.”, afirma Neto.

O Banco da Família, com sede em Lages – SC, conquistou 1.700 novos clientes no semestre, um crescimento de 10,4%. Segundo a presidente do BF, e vice-presidente Região Sul da ABCRED, Isabel Antunes Baggio, o bom resultado se deve ao aprimoramento constante no atendimento, ao lançamento de novos produtos e à abertura de novos mercados. “Temos objetivo de crescer 30% ao ano ”, disse Baggio.

Leave a Comment